segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Ter um Pit Bull é:

.
• Andar sempre acompanhado com ele se enroscando em suas pernas.

• Levar uma boa rabada nas pernas toda vez que chegar em casa tamanha a alegria dele.

• Ter um cabeção empurrando sua mão pedindo carinho com os olhos mais meigos que
se possa imaginar.

• Tê-lo sempre por perto mesmo com visita em casa, e ele lá no meio todo feliz.

• Receber um sorrisão, dois olhos brilhando, um rabo frenético, saltos do tipo gazela, toda
vez que falar com ele.

• Sair na rua e receber olhares curiosos, medrosos, desentendidos, de admiração. Pessoas perguntando pelo animal, querendo passar a mão, e na grande maioria das vezes, este cão
tão injustiçado, temido erroneamente, cai no chão de barriga para cima para receber carinho.

• Saber que ele nutre por sua família uma grande amizade, carinho, amor verdadeiro.

• Ter um cachorro que adora passear, nadar, brincar. Um cachorro que pode saltar muito
alto, escalar árvores, puxar carros, e ainda sim ser 100% delicado, leve e majestoso.

• Ter um ótimo companheiro.

• Ter um cão admirado por sua coragem, resistência e disposição para obedecer a seu dono.

• Ter um cão com muita alegria de viver.

• Muita responsabilidade, muito afeto e adestramento para fazer aflorar suas melhores
características e torná-lo um exemplo.

• Ter fidelidade.

• Ter um cão injustiçado por uns e tão amado por outros.


TER UM PIT BULL É SER MUUUITOOOO FELIZ!!!!!!!!



.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Pit Bull deficiente atua como cão terapeuta

.
Cody é o primeiro de sua raça a ser certificado profissionalmente como um cão terapeuta!




Quando o Pit Bull Cody, de dois anos, era apenas um filhote foi diagnosticado com uma deformidade congênita, chamada “síndrome da garra de lagosta”. Abandonado em um abrigo, ele foi resgatado pelo centro de proteção de Pit Bulls Even Chance, em San Diego, que pagou por uma cirurgia para ajudar a corrigir a deficiência do cão.

De acordo com o site People Pets, após a cirurgia, Cody vive feliz em seu novo lar, com a americana Barbara Sulier. “Eu sou uma daquelas pessoas que sente que os animais de estimação me escolhem mais do que eu os escolho”. Ela contou que ainda que viu a foto de Cody no site do Even Chance e tinha medo de que as pessoas rejeitassem o bichinho por ele não ser “normal”.

Grato por ter sido resgatado, Cody está retribuindo o favor atuando como um cão de terapia - o primeiro de sua raça a ser certificado para a função. Todas as semanas, Barbara e Cody vão até a casa de repouso para idosos Jewish Home, em sua cidade natal, em Los Angeles. Eles visitam os internos desde que o cachorro foi certificado, em maio. “Pitties são doces, fiéis e são tão leais que farão qualquer coisa que você pedir para eles. As pessoas precisam ver como são cães extremamente amorosos”, disse Barbara ao site.

Em entrevista à publicação, Barbara acha que Cody tem uma conexão pessoal com os idosos que visita no Jewish Home. “Ele foi muito especial desde que eu o adotei. Por alguma razão, no fundo do meu coração, eu sabia que deveria ter Cody”, finalizou a dona amorosa.


terça-feira, 4 de maio de 2010

Pit Bull perde para dachshund em ataque a pessoas!!!


Nem Pit Bull nem Rottweiler. O cão mais feroz do mundo é o dachshund, mais conhecido no Brasil como
salsicha ou cofap. Segundo uma pesquisa da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, um em cada
5 representantes dessa raça já atacou ou tentou atacar estranhos, sendo que um em cada 12 avançou
contra os próprios donos.
A vice-liderança dos bravos não é menos curiosa. Atrás do simpático salsicha,
está o chihuahua. A raça é a menor do mundo, mede entre 15 cm e 23 cm. É chamado de "o rei dos toys",
mas apresenta na pesquisa alta taxa de ataques a estranhos. Os menos agressivos, de acordo com o estudo
são: bernesses, golden retrievers, labradores, são-bernardos, britanny spaniels e greyhounds.

As raças com fama reconhecida de maus, como pit bulls e rottweilers, apresentaram média de agressividade considerada normal, ou baixa, no que diz respeito a ataques contra estranhos. O levantamento norte-americano foi feito com 6.000 proprietários de cachorros de 30 raças diferentes
durante dois anos. O estudo será publicado na próxima edição da "Applied Animal Behavior Science",
respeitada publicação da área.

O Pit Bull acabou redimido pela pesquisa. Só entra em sexto lugar na lista dos mais agressivos por ter alta taxa de investida contra outros cães (22%). A favor da raça que já esteve envolvida em vários casos de grande repercussão e até com vítimas fatais, os 6,8% de ataque contra estranhos é pequeno em comparação com os 20,6% do dachshund. A diferença, claro, está na força do golpe. "Uma mordida de um pit bull sempre causa mais estragos, ao contrário de uma de um dachshund", diz James Serpell, diretor do Centro para a Interação dos Animais e Sociedade da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia. O resultado surpreendeu até os pesquisadores. "Não esperávamos que as raças consideradas agressivas apresentassem números de ataques abaixo da média e os fofinhos, acima", diz ele.

Os pesquisadores alertam sobre a diferença dos resultados da nova pesquisa comparados a outros levantamentos que usam estatísticas médicas de mordidas. Como os ataques de cães maiores costumam causar ferimentos mais graves que os menores, os números são distorcidos. "Quando um cachorro grande é agressivo, o estrago é proporcional", pondera James. "Chegamos à conclusão de que as pessoas são mais indulgentes com agressões de animais pequenos." A pesquisa identificou uma forte relação entre agressividade e medo. De acordo com o pesquisador, os animais que mais atacam estranhos são os que sentem mais medo. É o caso do chihuahaua. "Eles agridem porque se sentem ameaçados. Deve ser assustador ser um minúsculo chihu. Tudo é gigante para ele", justifica James.

Os animais foram avaliados em relação a ataques ao dono, a estranhos e a outros animais. O resultado apontou enorme diferença entre raças e o tipo de ataque. "O akita é a raça mais agressiva com outros cachorros, mas pouco agressiva com seres humanos", compara o pesquisador.


Moda canina
Alexandre Rossi, zootecnista e mestre em psicologia animal pela USP, avaliou a pesquisa a pedido da Revista. Para ele o estudo é importante, mas aponta limitações. "Há uma variação enorme entre linhagens e localidades", explica. O especialista afirma ainda que a pesquisa falha ao não considerar o perfil do dono. "O comportamento dos proprietários é o que define o comportamento dos animais", resume. Ele garante que a popularização das raças segue modismos. As preferências têm a ver com interesses, profissão, estilo de vida e idade dos donos. São características que determinam também a personalidade dos animais. Os cães acabam desenvolvendo comportamentos parecidos com os humanos. Donos permissivos criam cães sem limites. Donas que gritam levam seus cães a reagirem com histeria.

Tanto o especialista americano quanto o brasileiro concordam, porém, que atacar os próprios "pais" pode ser um sinal de excesso de mimos e passividade na relação com os pets. "O efeito proprietário é o que realmente define a agressividade e todos os problemas comportamentais", resume Alexandre.

O novo vilão do mundo animal ficou famoso no Brasil depois de protagonizar uma série de comerciais. O salsichinha sempre aparecia ajudando a família. Em um dos filmes, ele chegava a deitar na frente do carro para impedir que seus donos viajassem. É difícil mesmo imaginar que o mimo de hoje pode virar a mordida de amanhã.


Vejam os seis primeiros colocados do ranking:

1º - Dachshund
- Porte: cerca de 35 cm (o peito) e 7 kg
- Temperamento: amigável, nem nervoso nem agressivo
- Agressividade: 20,6% atacaram estranhos; 5,9%, os donos; 17,6%, outros cães
- Detalhe: é o que mais ataca pessoas

2º - Chihuahua
- Porte: cerca de 15 cm e entre 1,5 kg e 3 kg
- Temperamento: rápido, alerta, cheio de vida e muito corajoso
- Agressividade: 16,1% atacaram estranhos; 5,4%, os donos; 17,9%, outros cães
- Detalhe: é o que mais sente medo

3º - Jack russell terrier
- Porte: de 25 cm a 30 cm e entre 5 kg e 6 kg
- Temperamento: alerta, inteligente, destemido e amigável
- Agressividade: 7,7% atacaram estranhos; 3,8%, os donos; 21,8%, outros cães
- Detalhe: terceiro na lista de ataque a cães

4º - Akita
- Porte: cerca de 65 cm e entre 35 kg e 40 kg
- Temperamento: decidido e reservado, mas domina outros cães
- Agressividade: 3% atacaram estranhos; 1%, os donos; 29,3%, outros cães
- Detalhe: é o que mais ataca outros animais

5º - Pastor australiano
- Porte: de 46 cm a 58 cm e entre 18 kg e 30 kg
- Temperamento: corajoso, leal e afetuoso
- Agressividade: 6,2% atacaram estranhos; 0,6%, os donos; 14,7%, outros cães
- Detalhe: ataca dez vezes mais estranhos do que os donos

6º - Pit Bull
- Porte: de 46 cm a 56 cm e entre 16 kg e 25 kg
- Temperamento: resistente, autoconfiante e alegre
- Agressividade: 6,8% atacaram estranhos; 2,3%, os donos; 22%, outros cães
- Detalhe: é a segunda raça mais agressiva com outros cães


Fonte: http://www.portalms.com.br/noticias/Pit-bull-perde-para-dachshund-e...


sexta-feira, 23 de abril de 2010

LEI QUE PROPÕE CASTRAÇÃO DO PIT BULL PASSARÁ POR NOVA ANÁLISE!!!


Para reexame do relatório, foi retirado da pauta na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal, o Projeto de Lei (PL300/2008) que dispõe sobre a responsabilidade civil e penal dos proprietários, pesquisadores e criadores de cães de guarda perigosos, e proíbe a reprodução de cães da raça Pit Bull.

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV),
Benedito Fortes de Arruda, entende que o projeto, em síntese, apenas apresenta avanço quando estabelece responsabilidade penal para o proprietário de cães que causarem danos a outras pessoas.

Por outro lado, o presidente não concorda com a proibição de reprodução de raça específica.
Havia expectativa de que o projeto fosse votado na última quarta, dia 10, em caráter terminativo.

Um dos pontos mais polêmicos proíbe a reprodução da raça Pit Bull, resultando em sua extinção. Para o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda, não há uma justificativa para essa proposta devido à falta de estudo técnico e científico.

No que se refere à agressividade, de acordo com a proposta, fica estipulado que 17 raças consideradas ferozes só circulem em ambientes públicos com focinheiras. Até o momento, fazem parte da listagem as raças Rotweiller, Fila, Pastor Alemão, Mastim, Doberman, Pit Bull, Schnauzer Gigante, Akita, Boxer, Bullmastiff, Cane Corso, Dogue Argentino, Dogue de Bourdeaux, Grande Pirineus, Komador e Kuracz Mastiff. Caso a lei não seja obedecida o proprietário do animal poderá levar penas de um a dois anos de prisão, mais multa.

Para Arruda, esta medida é reconhecida como positiva, porém, ela deve ser estendida a todos os cães que circularem em ambientes públicos. “Não há como culparmos raças específicas pela agressividade”, comenta o presidente. Ele explica que o cão que demonstra mansidão com sua família, independente do tamanho ou raça, pode não apresentar o mesmo comportamento quando se encontra na presença de desconhecidos devido ao seu instinto de autodefesa e de proteção ao dono.

Se o texto for aprovado, o dono de um cão das raças especificadas pode responder por homicídio culposo ou lesão corporal culposa (sem intenção), caso o animal ataque alguém. Já o uso desses animais em crimes intencionais aumentaria a pena prevista para o proprietário em um terço.

O presidente ressalta que em nenhum momento o CFMV foi convidado a dar orientações técnicas ou colaborar com a Comissão de Constituição e Justiça para a formação de juízo de valor sobre o tema.

Assessoria de Comunicação CFMV



sábado, 6 de março de 2010

Projeto de lei nega aos Pit Bulls, o direito de viver!

.
O projeto de lei nº 300, que visa responsabilizar civil e penalmente os proprietários e criadores de cães de 17 raças consideradas perigosas, por danos causados pelos animais, seria votado hoje pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) mas devido à lotada agenda de votação da Comissão a proposta foi agendada automaticamente para a próxima sessão de votação, na próxima quarta-feira, 10 de fevereiro.

No projeto consta que caso de ataque, as penas variam de 3 meses de prisão por lesões corporais simples, até 20 anos caso seja comprovado que o dono incitou o cão a atacar (homicídio doloso).

As 17 raças consideradas perigosas são: Rottweiler, Fila, Pastor Alemão, Mastim, Dobermann, Pitbull, Schnauzer Gigante, Akita, Boxer, Bullmastiff, Cane Corso, Dogue Argentino, Dogue de Bordeaux, Grande Pirineus, Komondor, Kuracz e Mastiff – que só poderão circular em lugar público se estiverem com coleira, corrente e focinheira sob pena de apreensão do animal e multa, que caso não seja paga implicará no sacrifício do animal apreendido.

O projeto (em trânsito desde 2008) gera polêmica porque se for aprovado, proibirá a reprodução de cães da raça Pitt Bull em todo o país. O autor do projeto, e também presidente da Comissão de Agricultura do Senado, é o senador Valter Pereira (PMDB-MS), segundo ele: “Nós temos acompanhado todos os anos muitos ataques de cães ,perigosos que têm feito vítimas. Nesses casos, há tanto a negligência dos donos como também a natureza dos animais. Na verdade eles vêm sendo verdadeiras armas. Nós temos que preservar a vida das pessoas. Se a negligência não provocar nenhum dano às pessoas, elas estarão sujeitas a multas. Se provocarem ataques, aí vai para o código penal. A pena pode ir de um a quatro anos de detenção”. Quanto à proibição da reprodução desses animais, Valter Pereira completa: “Eu analisei todos os aspectos, inclusive a questão da constitucionalidade. Existe uma máxima no direito que diz: "Aquilo que não é proibido, permitido é"... então não há proibição”.

Nas últimas decisões judiciais o artigo 132 do Código Penal, que fala sobre a exposição de pessoa a perigo direto e iminente, tem sido usado pela Justiça para culpar donos e proprietários de cães.

O veterinário e consultor JP Mauro Alves criticou o projeto: “A definição de periculosidade numa raça depende para que fim ela foi criada”, afirmou. “Os cães de guarda geralmente levam esse rótulo porque na maior parte das vezes acabam em mãos de pessoas que não têm vivência para ter um animal desse porte”, continuou, “me parece que esse projeto vai ser mais um daqueles muito bem feitos que vai morrer na praia. E os cachorros mestiços, como vamos classificá-los? Na verdade, você elencar raças perigosas é uma coisa muito traiçoeira, porque você pode vir a ter acidentes com qualquer cachorro de qualquer raça. A ideia é não penalizar os animais, e sim os proprietários”, pontuou.


Condenar donos que incitam animais a atacar é certo, claro, mas também depende. Sou contra o uso de animais para proteção pessoal, mas se estou passeando com meu Pit Bull, e alguém mal intencionado chega perto e me pede o relógio por exemplo, se o indivíduo não estiver com arma de fogo sinceramente deixo que meu lindo cão "converse" um pouco com ele. Devo ser condenado? Acredito que não pois na verdade fizemos, eu e meu lindo Pit um serviço ao país! Meu Pit Bull deve ser sacrificado? NEM PENSAR!

Dizer que as 17 raças de cães são perigosas é idiotice e falta de conhecimento de quem fala.
Muito depende de como o animal foi criado.

Tempos atrás os Pit Bulls eram criados e incitados por seus donos, os Pitbostas ou Pitboys, a entrar em rinhas e a atacar pessoas por mero divertimento; os cães eram treinados para isso, não recebiam carinho, apenas porrada pra ficaram revoltados e bravos. Quem merecia as porradas eram os devidos “donos”.

Lidei com Pit Bulls, em resgates, quando os donos pensavam em eutanásia-los devido à agressividade. Interessante que esses cães sem nunca terem me visto aceitaram de bom grado o meu carinho e hoje são felizes na casa de adotantes que os tratam com CARINHO E RESPEITO.

Tenho dois Pit Bulls que adotei. Cada um com seu passado triste e sofrido, mas que mesmo assim, não os impedem se ser felizes, alegres, amáveis, dóceis e carinhosos. Quando chega visita é uma festa, ELES fazem a festa!!!

Portanto, humanos que se virem com humanos, façam leis, prendam, mordam-se uns aos outros, como quiserem. Mas, impedir a reprodução desses animais é extermina-los! É negar-lhes o direito à vida!

O texto do projeto deve ser refeito, com certeza.


Fonte:
|

IMPERDÍVEL! Neste domingo 05/06, Luiza Mel, deixando sob nossos cuidados o Pit Bull Paz, resgatado em seu programa de estréia. Galera do bem, não foi fácil chegar até aqui, mas valeu e sempre vale a pena, TUDO POR ELES!!!!!! Por favor, assistam, divulguem, AJUDEM OS PIT BULLS!!!! CONFIRAM:

.

.

Aqui toda a história do Pit Bull Paz, assistam:

. . E… a chegada dele ao Santuário Pit Bull, aonde receberá todos os cuidados e logo após, será encaminhado para adoção. --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vídeos Youtube

Loading...

Deviant Art - Abaixo segue a tradução da música, composta especialmente para este vídeo.

Musica do Clip Deviantart
Tradução


Estou tão escondido e você nunca vai me ver
Sou frio perdoe todos por minha opnião
Eu não sou ninguem que você queira ser
Porque eu sei que o mundo tem medo de mim.

Agora voc
ê pode tentar me sedar,assassinar
ou simplismente me odiar.
Mas não há nada que voc
ê possa fazer por mim
ultimamente. Agora então estou confuso e

dividido. De ser rejeitado tantas vezes,eu vou
deixar tudo isso para traz. Tão amavel você
escolher o album e dar a tentativa por uma
vez e correr e contar a seus amigos
que esses filhos da mãe vão morrer por nós.

Tantas questões, dedos apontando para as
respostas, sugerindo que eu sou o cancer
reside dentro dos pastos com grama verde
até no pescoço e situações que são tão rapidas
para pensar sobre, e a maioria das pessoas nem
pode sonhar. Cem milhões de milhas e a cada
simples segundo, e todo tempo voc
ê ouve
esse recorde, eu quero que voc
ê me sinta sobre
cada sentença. Reverencia dos descendentes
de tesouros do passado.Vamos embarcar numa
jornada que vamos ficar vivos para sempre.
Positivo eu estaria do meu lado. Qualquer

seja as circustancias ou as consequencias.

Eu sou meu proprio pior inimigo. Eu
não
sou um modelo de inteligencia, filho da mãe,
e nem finjo ser e porque eu sou desse jeito?
Eu não sou um misterio. Minha mente não trabalha
em ordem ou em terapia. O cerebro esta confuso

e mentalmente abusado. A vida pendurada numa
corda, então que merda eu tenho a perder?
E que merda eu tenho que provar pra voc
ê ?
Se voc
ê não me conhece por agora, você nunca
irá me conhecer .Voc
ê pode colocar isso em meus
verdadeiros chegados. Eu tenho problemas e eles
estacam como contas, E eu relaciono ao quebrado,

coração sangrando, amor morto. E tenho esperado
nas sombras, acordado na escuridão. Esperando
falar sobre o passado, estou caindo distante. Eu
sou o cara e decisivo, estou desvanecendo longe.
Estou fora do toque da sociedade, e vivendo o hoje.
Nunca confiando na minha sanidade, me joguei
longe. para tornar-se o maniaco que toma sua
atenção hoje.


Voc
ê pode manter um segredo?
Bem, estou com medo do mundo porque eles

querem que eu morra, você pode acreditar?
Mas eu continuo vivo... e tenho flutuado desde '95
Com meu queixo preso mas estou tão morto por

dentro. Deixe os problemas rolarem e coloque-os
de volta dentro da pilha, porque é só um grupo de
merda que eu não posso negociar agora. E estou
tão cansado de sempre supor e mecher nisso de
novo. E o proximo dia é sempre profundo e eu
estou afundando constantemente.

Eu dou uma olhada em mim mesmo e vem os

apertos com o que encontrei. Foi uma visão de
uma criança, perturbada e quebrada. Sem alma,
sem coração porque eu a levei para longe. Sem
tempo para desculpas, eu fiquei aflito outro dia.
E todas aquelas lagrimas estão armazenadas em
nuvens de tempestades. Esse pairo acima de mim
e cobre a feiura. Continue a me odiar quando eu
estiver me sentindo baixo. Isso é a mesma razão
que seguro e nunca deixo ir.



"Meu choro é pelos homens IGNORANTES!
SEI que eles NÃO sabem o que fazem, porém,

espero que Deus NÃO os perdoe"
(Fernanda Meccia)